Operação contra roubo de carga prende 17 suspeitos na região de Campinas

Ação conjunta entre a Polícia Civil e a Polícia Militar prendeu temporariamente 17 acusados de envolvimento com furto qualificado de cargas na região de Campinas. Foram cumpridos, na manhã de hoje (11), 22 mandados de busca e apreensão e 17 mandados de apreensão de veículos nas cidades de Campinas, Paulínia, Sumaré, Nova Odessa, Cosmópolis, Hortolândia e Artur Nogueira.


Entre os alvos da operação estão dois policiais militares, um policial civil e um guarda municipal. Para facilitar a abordagem aos caminhões e veículos que transportavam as cargas, o grupo criminoso usava fardas da Polícia Militar, segundo denúncia do Ministério Público Estadual.

A operação, intitulada Vidocq, foi deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, em conjunto com o 1º Batalhão de Ações Especiais de Polícia Militar. O prazo das prisões temporárias é de cinco dias, prorrogável por igual período.


ma operação do Ministério Público Estadual e das polícias Civil e Militar prendeu na manhã desta quarta-feira (11) 19 suspeitos de roubo de cargas nas regiões de Campinas (SP) e Piracicaba (SP). Entre os alvos da "Operação Vidocq" estão dois policiais militares, um policial civil e um guarda municipal, segundo as investigações.

Também foram apreendidas duas pistolas 9 mm de uso exclusivo das forças armadas, fardas, além de veículos, placas, adesivos para adulteração de placas, dinheiro, cargas e bloqueadores de sinal de celulares e de rastreadores.


Ao todo foram expedidos 17 mandados de prisão temporária, sendo 16 deles cumpridos até o momento. Uma pessoa, que não é agente público, está foragida, informou a promotoria e a Polícia Militar. Ao todo 70 PMs participaram da operação, que teve início às 6h.


Há ainda 22 mandados de busca e apreensão e 17 de apreensão de veículos, sendo que 16 foram cumpridos. Outras três pessoas foram presas em flagrante, totalizando 19 detidos.


"Os receptadores estão sendo alvos de apuração para se chegar neles, mas já há algum indício. O principal é que a quadrilha, em princípio, está demantelada", disse o comandante do Baep da Polícia, Militar Marci Elber.


Ao menos 20 roubos


O grupo agia desde 2015, segundo as investigações em vias como Anhanguera (SP-330), Bandeirantes (SP-348), Dom Pedro I (SP-065) e Luiz de Queiroz (SP-304). Ao menos 20 roubos foram monitorados pelos investigadores desde então.


De acordo com a força-tarefa, o policial civil e o guarda municipal são de Cosmópolis (SP) e os dois policiais militares são de Paulínia (SP). A participação deles no esquema ainda será esclarecida, mas a promotoria ressaltou que nada aponta que eles participavam ativamente dos roubos.


Um dos integrantes presos foi flagrado, em Nova Odessa (SP), com farda da polícia nesta manhã. Ele estava com outras três pessoas, todos prontos para mais um roubo. Além do falso policial, o trio foi preso em flagrante.


"Em alguns casos nós sabemos que há conivência de caminhoneiros. Embora eles estivessem em vários pontos, eles agiam sempre em conjunto e na região de Campinas e Piracicaba", afirma Marci Elber.


Falsa blitz


A operação é comandada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, Batalhão de Operações de Polícia (Baep) e as corregedorias das polícias Civil e Militar. Segundo as investigações, os integrantes da quadrilha se vestiam como se fossem policiais para abordar as vítimas de roubo em falsas blitze da Polícia Rodoviária em estradas da região. Eles paravam os veículos, rendiam o motorista e roubavam toda a carga.


"Vários com funções diferentes, desde a ação em si como o transbordo, conseguir locais para guardar a carga. Hoje nós temos cargas de alimentos, especificamente carne, que estava em freezers, e estão sendo periciadas", afirma o comandante do Baep.


Presos e material apreendido


Os presos e o material apreendido foram levados para a sede do Ministério Público na Cidade Judiciária, em Campinas, onde foram ouvidos pelos promotores. A movimentação foi intensa durante toda a manhã. Após depoimentos, os suspeitos foram levados para a 2ª Delegacia Seccional da cidade, para onde também foram encaminhados os itens apreendidos, entre eles ao menos dois caminhões e seis carros.


O guarda municipal preso foi identificado como Irineu Alves. Segundo a Prefeitura de Cosmópolis, ele estava cedido para prestação de serviços na Polícia Civil há mais de 20 anos e responde à autoridade policial. A administração municipal disse, em nota, que vai aguardar o desfecho das investigações para tomar as providências cabíveis.


Cidades envolvidas


Os alvos da força-tarefa são nos municípios de Campinas, Hortolândia (SP), Sumaré (SP), Paulínia (SP), Nova Odessa (SP), Artur Nogueira (SP) e Cosmópolis (SP).

De acordo com a polícia, os bairros onde ocorreram as prisões em Campinas são o Vila Esperança e o Jardim Nova Esperança.Em Paulínia, os mandados foram cumpridos no Jardim Leonor e São José.


Em Hortolândia, os policiais foram na Vila São Pedro e Jardim Nova Europa. O Parque das Piscinas, em Artur Nogueira, teve presos.


Em Cosmópolis, a operação fez prisões numa área de chácaras perto da Rodovia Zeferino Vaz (SP-332). Dois bairros de Sumaré também foram alvos dos mandados, Jardim Denadai e Parque Yolanda.



Riscos Brasil

Últimas noticias
Roubo de carga
Quem somos
|
|
|
|
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
Riscos Brasil é um portal de conteúdo informativo e educativo voltado ao mercado de logística e transporte, porém com foco em Segurança e Prevenção de perdas. Tire dúvidas, busque informações e participe das nossas ações de combate a criminalidade, em especial, roubo de cargas e demais crimes associados.