Com novo perfil, roubo de carga bate recorde na região

August 6, 2018

O número de roubos de carga registrados no primeiro semestre deste ano na RPT (Região do Polo Têxtil) é o maior da série histórica iniciada em 2002. Foram 148 ocorrências, 48% a mais que no mesmo período do ano passado. Os dados, da SSP (Secretaria Estadual de Segurança Pública), revelam que a região está na contramão do resto do Estado, onde este tipo de crime caiu 17,1% no mesmo período.

 

Em 2017, a RPT já havia registrado o maior número de roubos de carga desde 2002. Foram 213 ocorrências durante todo o ano.

 

Foi o maior número de casos já registrados no primeiro semestre desde o início da série histórica, em 2002, com mais da metade em Sumaré

 

Sumaré registra mais da metade dos casos da RPT. Foram 83 roubos entre janeiro e junho no município (alta de 72,9% em relação aos 48 que a cidade registrou no primeiro semestre de 2017). Dos 83 deste ano, 62 (74%) aconteceram nas áreas do 4º e 5 º DPs (Distritos Policiais), responsáveis, respectivamente, pelos distritos do Matão e da Área Cura, regiões às margens da Rodovia Anhanguera.

 

“Não é aquela coisa organizada, é tudo roubo pequeno”, afirma o delegado Marcelo Moreschi Ribeiro, do 4º DP, região que registrou 32 roubos neste ano. De acordo com ele, são crimes de oportunidade, praticados por pequenos criminosos, e que têm se tornado mais comuns desde o acirramento da crise econômica. “Não é um negócio premeditado”, afirma.

 

Segundo Ribeiro, várias prisões são feitas, mas como são pequenos criminosos, os delitos continuam a acontecer. Marco Antônio Braga Rodrigues, que há três meses é delegado do 5º DP de Sumaré, também afirma que o valor médio dos roubos não é alto. Ele diz que sua equipe não fez nenhuma prisão de ladrões de carga nos últimos 90 dias, mas que os casos são investigados.

 

Rodrigues atribui a grande quantidade à proximidade com rodovias. Em Hortolândia, segunda cidade com mais crimes, foram 46 casos; em Americana, seis; em Nova Odessa, oito; e em Santa Bárbara d’Oeste, cinco.

 

O número de roubo de cargas na RPT é maior do que muitas regiões bem maiores. No Deinter (Departamento de Polícia) 3, de Ribeirão Preto, por exemplo, com 93 cidades, houve 74 roubos de carga de janeiro a junho. Na de Sorocaba, com 79 cidades, foram 65.

 

Paulo Roberto de Souza, assessor de segurança do Setcesp (Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região), diz que em regiões consideradas de risco as transportadoras cobram um valor adicional referente à segurança – ele não soube dizer se Sumaré e a RPT em geral se enquadram neste caso. “Isso encarece o impacto no custo final do produto”, afirma Souza.

 

Riscos Brasil

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

atlas_login.png
Últimas noticias
Please reload

Roubo de carga
Quem somos
|
|
|
|
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Google+ Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon
Riscos Brasil é um portal de conteúdo informativo e educativo voltado ao mercado de logística e transporte, porém com foco em Segurança e Prevenção de perdas. Tire dúvidas, busque informações e participe das nossas ações de combate a criminalidade, em especial, roubo de cargas e demais crimes associados.